Em respeito ao Sandy – o temível furacão que parou o EUA!

Durante três dias desta última semana de outubro vai ficar na história dos EUA. O Furacão Sandy – que se formou furiosamente no Golfo do México, deixou a Costa Leste norte-americana em estado de alerta e paralizando os grandes centros comerciais daquele país – inclusive a Casa Branca, sede oficial do governo. Na passagem do famoso furacão, que não ocasionou maiores danos com vítimas fatais, imobilizou toda a sociedade norte-americana, deixando as autoridades em “alerta geral”. Foram assim cancelados 14 mil vôos para os EUA (principalmente nos Aeroporto John Fitzgerald Kennedy, em NY), partindo do mundo todo. Esta ocorrência não acontecia desde os atentados em setembro de 2011, no qual o tráfego aéreo foi paralizado para amenizar o problema dos atentados contra o povo norte-americano.

Anúncios

Azul – Excelência com o ATR 72-600

 

A Azul Linhas Aéreas desde novembro de 2011 opera com a aeronave ATR turboélice da série 72-600 (de motores mais potentes), muito utilizado para atender as rotas regonais de pequena e média distância da companhia. A empresa brasileira é a primeira da América Latina que recebeu a aeronave que é fabricada na cidade de Toulouse, na França. O modelo ATR 72-600 é de última geração e é ideal para voar em rotas regionais porque apresenta um baixo custo de operação e alta performance, como em trechos de até 700 km a aeronave alcança em voo de apenas uma hora de duração no tempo total de operação.

Nova sede da Azul Trip

As companhias aéreas Azul e Trip – que vai operar com o nome “Azul”, anuncia a nova sede da empresa, que será na cidade de Barueri,SP, onde serão locadas as áreas administrativas e de operações. “Foi uma decisão que tomamos com muito cuidado, considerando os vários fatores e estratégias administrativas, visando o melhor para a nossa companhia. Assim, ao unirmos as equipes numa estrutura solidificada, ficaremos mais fortes e preparados para atuar num cenário extremamente competitivo, que é o do transporte aéreo nacional” – destacou David Neeleman, presidente da Azul Linhas Aéreas e do Conselho de Administração da Azul Trip S.A. As companhias também definiram o novo endereço da universidade corporativa “UniAzul” que será em Campinas, em prédio especialmente construído para o treinamento de pilotos, comissários, técnicos de manutenção e aeroportos das companhias, por ser próximo ao Aeroporto Internacional de Viracopos. Atualmente as instalações das duas companhias estão situadas em Alphaville, Barueri e Campinas, em SP.

“Endeavour” – desfile de gala para a última morada.

A exposição deverá ser a grande atração para o verão de 2013. Mas a nave “Endeavour” – ants mesmo de ir para o repouso histórcio, fez sucesso por onde passou. Após realizar mais de 25 viagens (ou missões) espaciais, a última nave irá ocupar um lugar de destaque no California Science Center nos EUA. O “Endeavour” teve a grande missão de substituir o ônibus espacial Challenger.

A nave passou 299 dias em órbita e circulou em torno da Terra 4671 vezes, realizando 122.883.151 milhas (ou mesmo, milhões de km percorridos). A Nasa e o Kennedy Space Center Visitor Complex (Centro Espacial Kennedy) espera contudo montar uma enorme exposição para receber turistas do mundo todo, até porque, o “Endeavour” vai ter o mesmo merecimento das consagradas naves espaciais como a “Atlantis”, embarcando assim para a nova missão de comemorar as realizações do passado e mostrar as futuras gerações das grandes explorações espaciais que essas naves realizaram há décadas atrás.

Longe dos asteroides a espaçonave “Endeavour” realizou sua última jornada rumando para a sua casa definitiva, onde no caminho atraiu a atenção de centenas de curiosos e apaixonantes do sistema de ônibus espaciais da “Nasa”, percorrendo lentamente pelos  trechos urbanos.

A “Endeavour” estava no aeroporto de Los Angeles, e os espectadores aproveitaram para fotografar a nave que fez parte do programa que realizou as missões espaciais em torno da Terra.

Alaska Air – novos Boeing 737 Max na frota

A Alaska Air vai adquirir da Boeing 50 novas aeronaves a jato do modelo “737 Max”, ao custo comercializado em tabela de US$ 5 bilhões, totalizando a maior encomenda já realizada pela companhia aérea. Ainda assim a Alaska Air só tem aviões Boeing em sua frota de 120 unidades, cuja programação, segundo a fabricante norte-americana irá entregar os equipamentos entre 2015 e 2022.

A Alaska Air pertence a Alaska Air Group (que também detém participação da Horizon Air). A nova versão do 737 Max oferece uma eficiência positiva com excelentes resultados no quesito consumo de combustível e autonomia de voo com números competitivos. A Alaska Air atualmente é composta pelos tradicionais modelos “737”.

 

Boeing 737 Max – na GOL a partir de 2018

Sessenta novas aeronaves Boeing 737 Max – ao custo de investimento de US$ 6 bilhões (onde cada avião custou cerca de US$ 100 milhões) será incorporada a frota da companhia brasileira, programados para serem entregues até 2026 cujas primeiras unidades deverão ser operadas a partir de 2018. “Estaremos utilizando esses novos aviões nas rotas nacionais, cumprindo uma programação de renovação da frota para o futuro” – afirmou em nota o presidente da Gol Linhas Aéreas Inteligentes, Paulo Sérgio Kakinoff. A aquisição é anunciada como a maior encomenda em número de aviões de uma companhia na história da aviação da América Latina.

A companhia, mesmo apresentando um resultado decorrente da depreciação do real frente ao dólar, despesas com combustível e o aumento dos custos tarifários aeroportuários, mostra o desafio e a dinâmica empresarial. “Estamos afirmando com esta aquisição uma concreta posição para os próximos 15 anos em relação ao tipo de equipamento com os quais operamos comercialmente” – enfatizou o executivo. As aeronaves 737 Max fabricadas pela norte-americana Boeing consumem menos combustível, menor peso e um maior desempenho operacional. “As inovações reduzirão o consumo de combustível e a emissão de gases poluentes em até 13%, na comparação com os “737 Next  Generation” que usamos atualmente pela companhia” – afirmou seu presidente.

Números positivos na fabricação de aeronaves

As gigantes fabricantes empresas de aviões Boeing e Airbus (EADS), comercializaram respectivamente 879 e 382 aeronaves conforme dados publicados por ambos os construtores.

A Airbus vendeu 437 aviões a jato entre janeiro e setembro desde ano, em comparação com 962 unidades da Boeing no período que compreende os nove meses de 2012.