Classes “C”, “D” e “E” são os novos viajantes aéreos brasileiros!

1160

Andar de avião no Brasil tem sido a preferência dos “brasileiros” que moram nas regiões como Norte e Nordeste. Não apenas pelo custo menor que tem atraído um contingente expressivo (mais de 360 mil passageiros) das classes C, D e E para os aeroportos, mas pelo demora que antigamente eram dias e dias dentro de um ônibus rodoviário. Agências especializadas em vendas de passagens aéreas para o público de pequeno poder aquisitivo identificaram um filão pouco explorado. Em vez do tradicional cartão de crédito, essas casas comerciais tem oferecidos a compra por carnês. As parcelas devem ser pagas até a data da viagem [não havendo consulta de crédito]. Neste ano, somente no Rio de Janeiro, foram R$ 3 milhões em negócios fechados, em mais de cem pontos de vendas localizados em áreas periféricas da cidade carioca.O negócio está assim andando na contramão da crise. De acordo com o Ministério do Turismo, os brasileiros com renda de até R$ 2,1 mil querem e estão optando por andar de viajar, e cerca de 44% o farão de avião, em comparação com 32,3% em 2015. Segundo dados da pesquisa do Data Popular, existem cerca de 30 milhões de brasileiros que nunca viajaram de avião, com vontade de usufruir do transporte, mas cheios de dúvidas sobre os processos de reserva, pagamento e check-in. O sistema pré-pago está atraindo este público, que não tem cartão de crédito ou está com o limite estourado, cujo cidadão se programa e consegue viajar, não perdendo a oportunidade de viajar de avião. [Helio L Oliveira, editor MTb 69429SP, do Rio de Janeiro, RJ * Foto: NOP-Fly]