CHINA: COMAC APRESENTA SEU PRIMEIRO JATO…

c919-comac_3

A China apresentou o seu primeiro jato para passageiros, que para muitos deve apontar um novo comercio mundial, colocando o país para se tornar um dos maiores produtores de aviões do mundo, em um mercado dominado por fabricantes ocidentais como a norte americana Boeing e a europeia Airbus.

c919-Hainan-Airlines2

O avião “c919” fez um voo teste no inicio de maio a partir do aeroporto internacional de Xangai. A fabricante é a estatal COMAC Commercial Aircraft Corp. of China Ltd.. Segundo a agência de notícias oficial, Xinhua News Agency, a ideia da China é ser a quarta maior fabricante de jatos para passageiros, atrás dos Estados Unidos, Europa e Rússia. Essa meta ambiciosa ainda está longe de ser completada, cujo voo inaugural tenha sido ocorrido com vários anos de atraso.

c919-Hainan-Airlines1

A companhia aérea que deve ser a primeira a operar as aeronaves é a China Eastern Airlines, onde mais de 570 encomendas já foram feitas e a expectativa é que a fabricante abasteça principalmente o mercado chinês. A Comac deverá fabricar duas aeronaves por ano até 2019 para obter a permissão total de voo.

c919-Hainan-Airlines

O avião deverá transportar passageiros apenas em 2019 por conta de aprovações e certificações. [Jean R Dierckx, de Bruxelas, Bélgica, Correspondente para a REV INFLYGHT AÉREO – BRASIL * Images: COMAC/Press/Airplane new]

EUA: companhias querem reduzir o overbooking aéreo!

american_airlines_airplane_13

As gigantes companhias aéreas dos EUA anunciaram no Congresso local as novas mudanças para evitarem os transtornos com incidentes do conhecido “overbooking”, como nos recentes casos ocorridos com passageiros e que geraram escândalos midiáticos. As aéreas United, American, Southwest e Alaska Airlines buscam a necessidade de reduzir a venda extra de passagens disponíveis por voo, prática comum entre as companhias aéreas, sob o argumento de que muitos passageiros não comparecem. No caso do avião da United ocorrido em 9 de abril, quando o passageiro David Dao foi obrigado a sair à força de um avião que iria para Chicago, para liberar um assento para a companhia [no voo 3411], teve como um incidente “de inflexão” na posição da companhia, cuja lista de reformas aumentou de US$ 1.350 para 10.000 dólares a quantidade máxima para compensar a um passageiro que tenha que ceder seu assento em um voo com excesso de reservas. [Elias Marques, editor MTb 49162SP, de SP * Foto: Divulgação/Press

Embraer destaca bons resultados realizados em 2016: 108 aeronaves!

phenom_300_embraer_bra

A Embraer entregou 32 jatos para o mercado de aviação comercial e 43 para o de aviação executiva, sendo 25 jatos leves e 18 jatos grandes, ao longo do quarto trimestre de 2016. Assim, a empresa encerrou o ano de 2016 com 108 aeronaves comerciais entregues e outras 117 no setor executivo, sendo 73 jatos leves e 44 jatos grandes. O total de 225 aeronaves para esses dois mercados representa o maior volume de entregas da fabricante brasileira dos últimos seis anos. A fabricante de aviões brasileira ainda fechou o ano com 479 pedidos firmes por aeronaves comerciais e opção para mais 136 – a indústria não revela o volume de aeronaves executivas encomendadas. [Elias Marques, de SP * Foto: Divulgação]